segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Do Deserto - Fabiane Ponte

As palavras me abandonaram.

Palavras têm vontade própria, e são sempre pescadas no ar, quando se está em vôo.

No momento, estou fixa, com os pés fincados na terra.

Aliás, terra não, areia.

Areia do imenso deserto no qual me encontro.

Atravessar desertos é uma árdua tarefa, ando até vendo miragens, estou tomada por uma sede imensa, e caminho com o objetivo de saciá-la.

Creio que, ao encontrar um oásis, conseguirei novamente alçar vôos e pescar palavras no ar.

Por ora, sigo caminhando...


-Fabiane Ponte-

2 comentários:

Mai disse...

Olá Keli, vim dar-te um abraço. És a mais nova seguidora do "Inspirar".
E fico feliz.
De cara, já me inspiraste. Eu não conhecia a autora que postastes aqui.
E gostei muito.

Quero te dizer que aquele espaço também é teu.
Fica a vontade. Comenta, critica, escreve o que quiseres.

Voltarei.
Carinho.

Ultra Violet disse...

É, faz tempo que as palavras me abandonaram, embora sussurrem seu canto no meu ouvido.

Bjs.